Lei da Palmada – para educar pode?

lei - palmadaSemana passada, mães e pais de todo o Brasil acompanharam a aprovação por unanimidade da Lei da Palmada, na Câmara dos Deputados. E o assunto ainda permanece nas rodas de conversas. Afinal, palmadas são “instrumentos” punitivos ou educativos? Devem ou não ser aplicadas pelos pais e em que ocasiões? Uma lei como esta é, de fato, necessária ou marca somente a intromissão do Estado na vida e decisão das pessoas?

Veja no artigo a seguir as ponderações de Breno Rosostolato, psicólogo e professor da Faculdade Santa Marcelina. E, depois, mande um comentário com a sua opinião sobre o assunto!

“O projetode lei Nº 2654 /2003, da deputada Maria do Rosário, prevê impedir o castigo físico em crianças e adolescentes e está em tramitação no Congresso. A lei já é controversa e polêmica porque suscita discussões e dúvidas entre pais, cuidadores e educadores. Qual o limite para se dar uma palmada? O pai que der uma palmada no filho é criminoso? Existirão delegacias próprias para receber denúncias das crianças? Como será feita a fiscalização?

Não cabe a nós responder tais perguntas. Deixaremos estas questões para nossos parlamentares, mas, enquanto sociedade, devemos discutir a palmada. Considero importante a iniciativa da lei partindo da premissa que a reflexão sobre a violência infantil é o ponto primordial desta lei, uma vez que temos inúmeros casos de maus tratos às crianças.

A palmada não deve ser punitiva e sim educativa, esta reflexão é fundamental para esclarecermos alguns equívocos. A palmada serve para sinalizar à criança a informação mais importante das relações interpessoais, o “não”, informação tão necessária para que não se torne um adulto frustrado e que aprenda a reconhecer a impossibilidade de fazer certas coisas. O ensinamento acontece mediante a associação da palavra com a palmada. A palmada muitas vezes complementa a palavra que não é assimilada pela criança. A palmada com explicação é eficaz, revelando ao filho que existe um não, e assim, instrumento de educação utilizado em momentos pontuais: birra, teimosia, etc. Sou enfático em afirmar que o diálogo deve ser considerado o principal vínculo entre pais e filhos. A palmada não é e não deve ser unânime para se educar uma criança.

A prerrogativa de que uma criança que recebe uma palmada se tornará um adulto violento me parece pouco consistente, pois não conheço criança violenta por causa de uma palmada, mas sim porque era espancada e apanhava violentamente, e é neste ponto que paira a distorção desta lei. Pais que não sabem diferenciar um espancamento de uma palmada devem, no mínimo, repensar sua condição de cuidadores e rever suas condições de orientadores. Além disso, a lei da palmada é insuficiente porque se limita a discutir as violências físicas e ignora as violências verbais e que comprometem emocionalmente da criança. Este tipo de agressão possui efeitos nocivos à constituição da personalidade da criança.

Parece-me evidente a intervenção do Estado Moderno na coparticipação na educação dos filhos com imposições de leis como estas, todavia, a família que deveria ser o cerne das transformações na educação desta criança é desqualificada, diminuindo sua importância e participação. Proibir uma conduta deve implicar em demonstrar outras maneiras de agir e neste aspecto, vivemos a perda da autonomia na família, assim como a maternidade e a paternidade são questionadas e colocadas à prova.

A política de tolerância zero visa transformar a animalidade em humanidade, o que é louvável, mas imediatista no que diz respeito a rediscutir este momento das relações familiares e deste novo momento das crianças e adolescentes. O afeto e o respeito são salvadores, o que de fato estamos perdendo cada vez mais no mundo é não resgatarmos estes sentimentos”.

Leia também -

Filhos X Tarefas domésticas

Não se esqueça: as crianças também gostam de brincar!

 

58 respostas a Lei da Palmada – para educar pode?

  1. Malila disse:

    Como Pedagoga tenho vergonha de ler que um psicólogo admite a palmada como Educativa. Palmada é agressão SEMPRE!! Sinceramente não entendo o porque de tantas pessoas distintas realmente acreditarem que é impossível educar sem recorrer a esse meio escuso e lamentável de subjugar o mais fraco pela força bruta. Se a criança não entende bem um NÃO, vai entender a explicação do porque está apanhando? O que deixa uma criança má educada não é nem a falta de palmada mas a permissividade. Os pais de hoje, sem tempo para construírem uma base sólida de confiança e respeito apelam para a chantagem e pamadas para suprir a lacuna de sua ausência. Triste.

  2. VANESSA disse:

    Desculpe mas o comentário da Malila, é meramente profissional e não de uma mãe.
    Pois é claro que jamais aceitaria que alguém que não fosse eu ou o pai do meu filho, desse uma palmada nele, por qualquer motivo de fosse.
    Mas dizer que hoje e sempre, todos os pais um dia deram uma palmada no filho, e se deram, é porque não os tem.
    Estamos falando de uma palmada, e não de uma surra!!!! O governo deveria se preocupar com outras questões mais importante, como os maus tratos a crianças, agora não posso dar uma palmada no meu filho, porque o governo pode intervir e me prender???? Quem trabalha e paga todas as contas dele, quem da amor, carinho, fica noites acordada, quem leva ao médico.

    As crianças hoje crescem sem valores morais sólidos, e acham que podem tudo, sem limites, vamos apenas aumentar o número de delinquentes nas ruas do nosso país.

    Não aprovo a lei!!!!!

  3. Andreia disse:

    Eu também acho que há um certo exagero por parte do primeiro comentário aqui da página. Imagina… uma palmada, muitas vezes, é sinal de amor e não de agressão. Como mãe, concordo plenamente com o psicólogo pois acredito que o diálogo é fundamental na relação entre os pais e a criança. Mas, uma palmada não significa uma surra e, muitas vezes, serve apenas para fazer barulho, fazendo a criança “acordar” diante de uma situação. Sou contra a lei da forma como é apresentada. Se o país desse mais educação ao povo, talvez esse tipo de texto não precisasse ser colocado em discussão.

  4. Claudio disse:

    Bom dia, Sou Sociólogo, leciono Sociologia para turmas do Ensino Médio e também sopu pai, meu filho tem hoje 5 anos de idade. Comcordo com os comentários da Vanessa e da Andréia e também sou contra a Lei, tenho hj 47 anos de idade e não fossem meus pais, que souberam muito bem como e quando me aplicar as tais palmadas, talvez fosse um bandido e não um professor como sou já há quase 20 anos!!! Tudo tem limites issi sim! Felicidades.

  5. Claudio disse:

    Queiram perdoar os erros de digitação, meu teclado já passou de meia vida.

  6. Mônica Queiroz disse:

    ABSURDO alguém AINDA defender PALMADAS EDUCATIVAS. Então vamos dar palmadas EDUCATIVAS nos chefes, chefas, namorados,namoradas, marido, esposa, em quem for, se não será classificado como um tipo de AGRESSÃO.

  7. Leka disse:

    Há pessoas que realmente acreditam que alguma criança não seja capaz de compreender as coisas através do diálogo, do exemplo, do afeto, da persistência dos pais, da atenção, da empatia, da coerência?
    A palmada é mesmo necessária? Em qual ocasião? Quando os pais perdem o controle? Quando os pais demonstram que suas palavras não tem qualquer valor?
    E se só os pais possuem o direito de impor este “limite” da palmada, e se é esse o “,limite” aprendido pela criança, vocês autorizam os professores autorizarem o mesmo tipo e “limite”?

  8. Rui Leopoldo Saueressig disse:

    Sou contra esta lei, pois não entendo como podem defender uma lei contra palmada, quando está comprovado pelo histórico da criação humana, que, caso exista algum adulto que não levou palmadas na infância, este conhece vários outros que levaram e nenhum ficou violento ou se criou malvado, por resultado da palmada.
    Esta ” polemica” deputada, deve estar buscando popularidade, defendendo um assunto que causa polêmica, ” se” associado com a violência infantil, mas não podemos misturar as coisas, pois duas ou tres palmadas corretivas, NÃO TEM NADA A VER COM O ESPANCAMENTO.
    “Espancar é cometer um crime”, seja contra criança, adolescente, adulto ou idoso. Isto sim deve ser combatido !!! Esta é mais uma política que não merece o meu voto !

  9. Davi Santos disse:

    Tambem sou contrario a esta lei, não é a palmada que tem que ser evitada; mas sim a Agressão pura e simples. Precisa-se criar um limite entre o que é um espancamento e o que é um ato de correção; todos nós sabemos que não é correto educar pela dor; porém existem situações onde pode não haver outra opção. Diz o ditado “quem dá o alimento também da´o ensino”, e as vezes (eu disse as vezes) este ensino pode precisar de um reforço físico. Tenho 47 anos de idade, já sou avó de 3 lindos netos, nunca espanquei meus filhos, mas sempre que necessario corrigi no devido tempo e a altura da necessidade, recorrendo a correção física quanto necessario. Hoje estamos vendo é uma liberação total para o adolescente e o jovem. Daqui a pouco acabara tendo uma inversão de valores onde o filho pode punir o pai por não fazer o que ele QUER e o pai não pode punir o filho por algo de ERRADO que ELE FEZ.

  10. Malila disse:

    Falo como Educadora mas como mãe também. Tenho dois filhos, o caçula é ainda bebê e a mais velha tem 6 anos e nunca, repito, NUNCAA apanhou um tapa sequer e sempre recebo elogios por seus bons modos e sua boa educação. Suas professoas sempre comentam como é a única que espera sua vez e divide sem problemas, respeitando sempre os mais velhos, muito diferente de outras crianças que apanham mas MESMO ASSIM carecem de limites. Do que adianta dar tapas se muitas vezes a criança nem entende a relação entre a palmada e sua atitude equivocada? Palmada é coerção pela força bruta, ensina tão somente a temer algo muitas vezes sem compreender o porquê. Isso não é Educação é adestramento. Lamentável.

  11. Mab davilla disse:

    que coisa mais retrograda senti-me mal com esta lei absurda . eduquei trés filhos meus e dois de criação e nunca usei de violência , são ótimas pessoas e de sucesso ,pais modelos e esposos , também servem de exemplo. dinâmicos e empreendedores criam seus filhos no mesmo padrão – dialogo e se necessário por de castigo assim – privar de algo que goste , por exemplo a brincadeira … e explicar porque por de castigo . sempre dar opções a criança dar um sim quando der um não – a cada negativa você fecha a pessoa a cada afirmativa você abre a pessoa ,,,, você fez errado então fica sem brincar – se fizer certo vai brincar com teus amigos !!!!nos nascemos para sermos bons , eu sou tua mãe e você e meu filho , eu te amo , por isto te oriento!

  12. Andreia Mascarenhas disse:

    Boa noite e um Feliz Natal!

    Para os defensores da palmada educativa, eu gostaria de deixar apenas duas perguntas:

    - O que fazer quando a palmada já não surtir o efeito desejado? Qual seria o próximo passo?
    - Se palmada não é agressão, por que não podemos dar nos nossos colegas, pais, amigos, chefes quando erram conosco?
    - Por que em um velhinho teimoso como a criança, a palmada é crime e na criança é educativa?

    vale a pena refletir antes de responder, ok? Uma boa reflexão provocada pelas perguntas pode levar à mudança de pensamento…

    Obs. : Tenho dois filhos, educo sem palmadas. Eles são cheios de energia como qualquer criança saudável e inteligente. Educo muito bem e imponho limites: Orientando, ensinando, explicando, dizendo SIM quando possível e NÃO quando necessário… Isso se faz com amor, paciência, dedicação, atenção, firmeza e sabedoria!

  13. Ricardo disse:

    EU PROVO: O cachorro é muito superior ao ser humano!

    Os adestradores treinam seus cachorros a base do insencitvo para cada ação correta.

    Se conseguem treinar um cachorro sem bater, porque não conseguem treinar uma criança?

    A resposta é simples!

    O PECADO. O homem não suporta a Palavra de Deus quando diz que o AMOR NÃO SE IRRITA 1Corintios 13:4-7. E é sabido que na maioria das vezes os Pais dão os “tapas” nos filhos porque estão irritados.

    Também não são exemplos no lar, pois gritam, ameaçam, batem… e muitas vezes sem querer passam isso para os filhos.

    Jesus VOLTA LOGO, PLEASE!

  14. Andreia Mascarenhas disse:

    Pois é, Ricardo. Eu acho q é tbm uma questão cultural. Sempre foi assim… O hábito CEGA os olhos, não deixando que as pessoas enxerguem coisas diferentes…

    É possível criar/educar/disciplinar uma criança SEM palmadas e SEM gritos. Cultura desgraçada q não deixa os pais enxergarem alternativas diferentes… O Brasil está todo protestando contra a Lei aprovada, os pais NÃO SABEM fazer diferente, estão perdidos agora sem saber como educar os filhos e ainda dizem q o estado está invadindo seus lares e IMPEDINDO de educar e colocar limites em seus filhos…

    Imagina se bater é educar e dar limites, são atitudes totalmente opostas, pois quem bate prova que não tem limites e que não tem controle próprio… Covardia!

  15. NO MUNDO EM QUE VIVEMOS HOJE ESTÁ REALMENTE DIFICIL PARA EDUACAR,MAIS SOU CONTRA AS PALMADAS.UM BOM DIALOGO ACREDITO SER A MELHOR SOLUÇÃO.

  16. Ana disse:

    Eu dei uma palmada bem boa na minha filha quando ela tinha 3 anos, hoje com 11. Todos os dias se atirava no chão quando queria uma coisa e era contrariada ficava roxa, no inicio me preocupava um dia resolvi dar a tão famosa palmada quando fez isso, acreditem resolveu nunca mais fez, nem por isso ficou com problema, hoje basta uma olhada de reprovação. Por sinal é muito carinhosa com todos, sempre recebo elogios por ser tão educada. O problema que tem pais que estrapolam nas palmadas, mas o governo deveria investir mais na educaçao dos pais, investir em escolas de qualidade tbém para os pequenos, tudo isso cedo da retorno mas tem que começar. Os politicos só pensam e si e não no social.

  17. Angela disse:

    Concordo plenamente com o comentário do psicólogo e DISCORDO DE ALGUNS COMENTÁRIOS Q APOIAM A LEI,”então se meu filho de 12 anos chegar em casa com um cigarro de maconha,uma pedra de crack,se trancar no quarto não poderei dar uma palmada nele?lamentável…Lá no congresso deveriam se preocupar SIM ,mas com as crianças q são todos os dias molestadas,espancadas ,uma palmada não mata ninguém,é sim educativa.”Sou mãe e quem é de vdd,entende o q to falando será mto triste ver pais e mães apanhando dos filhos ,este por estarem drogados,bebados,,pq um dia eles não puderam “dar” uma palmada neles .PORQUE É ISSO Q VAI ACONTECER NOS PRÓXIMOS ANOS ,FILHOS BATENDO EM PAIS ,TERÁ UMA LEI PRA ISSO TAMBÉM? A LEI DE Q UM FILHO NÃO PODE BATER NOS PAIS? PQ ESSE SERÁ O NOSSO FUTURO MINHA GENTE ,NOSSO FUTURO PAIS E MÃES…PQ ALGUÉM Q DEVE TER SIDO MUITO ESPANCADO NA VIDA RESOLVEU Q Ñ PODEMOS DAR UMA PALMADINHA NOS FILHOS Q DEVERIAM SER O FUTURO DO BRASIL ,MAS SERÃO A PERDIÇÃO DESSA NAÇÃO..Triste…

  18. Andreia Mascarenhas disse:

    Ângela,

    Se teu filho de 12 anos chegar em casa com um cigarro de maconha,uma pedra de crack,se trancar no quarto…. ELE ESTÁ PRECISANDO de tratamento e NÃO de palmada! Corre para SOCORRÊ-LO se ainda o amas!

    Se o teu filho chegar a esse ponto pode ter certeza de que vc errou feio na educação dele. Pode ter faltado o NÃO qnd foi preciso, o SIM na hora certa, pode ter faltado ACOMPANHAMENTO quando brincava com os amiguinhos na rua, pode ter faltado tua atenção no momento dos conflitos da pré-adolescência… pode ter faltado UM MONTE de coisas, inclusive de LIMITES, mas COM CERTEZA, não foi falta de palmadas!

  19. Andreia Mascarenhas disse:

    Ana,

    Meu irmão tbm tinha essas manias de se jogar ao chão, tbm ficava roxo e “desmaiava”. Levou as primeiras palmadas aos 2 anos, aos 4 ainda não tinha deixado, começou a levar palmadas mais fortes…. Aos 5 estava lá pulando e se jogando mais forte ainda no chão, aí veio a sandaliada… Aos cinco chegou o cinto sem piedade, aos 6 continuou no cinto… aos 7 as cintadas ganharam mais força… aos 8, 9 e 10 tomava surras de ficar marcado… SÓ DEIXOU DE FAZER ISSO aos 11, qnd ficou com medo dos amigos saberem e rirem dele, começou a entender como era feia essa atitude, ou seja, parou por vergonha dos amigos!

    Sou contra a palmada. Às vezes percebemos que ela ‘funciona’ (como no seu exemplo), mas isso é educar pelo MEDO e SUSTO. Prefiro que meus filhos APRENDAM A OBEDECER de verdade, sem preciso ameaças, agressão ou grito. A palmada anula qualquer oportunidade de diálogo e a criança

    Educar é ensinar, orientar, levar a criança a aprender e não a parar pelo susto ou pelo medo! Mas educar exige paciência, atenção, controle emocional, respeito e sabedoria e, por isso, muitos vão pelo lado mais curto q é o da palmada… E, se ela não ‘funciona’ as agressões tendem a aumentar (como no caso que contei, do meu irmão).

  20. Juliana disse:

    Sou totalmente contra essa lei de palmadas…quando era criança me lembro muito bem das boas palmadas que minha mãe me dava e nem por isso cresci uma pessoa revoltada e violenta…acredito sim que muitos pais exageram e acabam espancando seus filhos, mas umas boas palmadas não faz mal para ninguém…aqui em casa chamamos de disciplina em vez palmadas…
    Acredito que oq torna uma criança violenta e revoltada é o meio em que vive, não adianta nada vc não disciplinar seu filho mas ele ve seu pai bater em sua mãe ou a mãe é uma drogada bebada…
    E para finalizar, só queria deixar claro que a própria bíblia diz que devemos educar nossos filhos com vara….

  21. Milton d'Souzas disse:

    Quando elabora-se um projeto lei, as questões dos pós e contras, devem ser antes discutidas com os pais.Digo, com pais. Pois quem não é pai ou mãe, tem uma visão mais acadêmica do assunto. Embasa seu discurso em teorias desenvolvimentistas. O que o governo apresenta como solução para os pais?. Investirá em quê e quando?. Temos que ser sim, contra espancamento, abuso, punindo severamente os autores, mas também, temos que pensar nos milhares de pais, professores, avós, etc…, que são espancados por deliquentes que usam o ECA como escudo para suas crueldades. Não sendo ironico mas acho que a única saída para esse caso, seria contratar a Super Nany, para treinar a população brasileira.

  22. Andreia Mascarenhas disse:

    Juliana,

    Sobre a vara da Bíblia escrevi esse texto, espero que sirva para sua reflexão. Eu escrevi esse texto depois de um grande período de leitura, estudo do tema sob a luz da Bíblia, debate com vários pastores do mundo real e virtual e muita oração também.

    O texto:

    Muitas pessoas, por apegarem-se à literalidade de palavras da Bíblia, entendem que precisam bater em seus filhos para discipliná-los. Afirmamos, porém, com base em estudos e reflexões profundas sobre o tema, que a Bíblia não apoia tal prática.

    Alguns versículos que “confundem” a mente de cristãos sobre tal atitude:
    1. Aquele que poupa a vara aborrece a seu filho; mas quem o ama, a seu tempo o castiga. Provérbios 13:24-
    2. Não retires da criança a disciplina; porque, fustigando-a tu com a vara, nem por isso morrerá.
    Provérbios 23:13
    3. A estultícia está ligada ao coração do menino; mas a vara da correção a afugentará dele.
    Provérbios 22:15

    Pensemos inicialmente: Pregamos que Deus é Pai. Somos, pois, seus filhos. Se somos filhos, somos por Ele também educados, disciplinados, corrigidos. Encontramos versículos que falam na correção de seus filhos por Deus? Sim, inclusive falam também do uso da vara. Mas que vara será essa? O que a vara citada está representando?
    1. Saberás, pois, no teu coração que, como um homem corrige a seu filho, assim te corrige o Senhor teu Deus.
    Deuteronômio 8:5
    2. Eis que bem-aventurado é o homem a quem Deus corrige; não desprezes, pois, a correção do Todo-Poderoso.
    Jó 5:17
    3. pois o Senhor corrige ao que ama, e açoita a todo o que recebe por filho.
    Hebreus 12:6
    4. “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.” – Salmos 23:4

    Percebemos claramente nesses versículos a não literalidade da vara. Primeiro porque nunca vimos Deus açoitar literalmente seus filhos; Segundo porque a vara falada no livro de Salmos tem o papel de consolar. Entendemos, pois, que a vara é usada na disciplina como instrumento para guiar, apontar o caminho. E educar é isso! Como no início da leitura (vers. 1°) Deus é apresentado como Pastor, percebemos que a vara é um instrumento usado para apascentar, corrigir desvios, apontar a passagem às ovelhas, conduzindo-as no caminho certo e livrando-as dos perigos. Perguntamos:

    • Se a vara usada por Deus/Pai nos consola, por que a vara usada pelo pai e mãe seria usada para bater, açoitar ou fustigar literalmente?
    • Quando Deus nos corrigiu com a vara literalmente?
    • Quando o pastor da Igreja, que faz o papel de pai, ensinando, disciplinando, usou da vara literalmente para corrigir a seu rebanho?
    • Onde na Bíblia encontramos Jesus, já que Ele esteve presente de carne e osso na Terra, repreendendo com vara as crianças?

    O apóstolo Paulo também falou da vara quando se referiu à correção dos membros da igreja em Corinto:

    • Que quereis? Irei a vós com vara, ou com amor e espírito de mansidão?
    1 Coríntios 4:21

    Quando/Onde encontramos na Bíblia Paulo açoitando de vara o povo que estava sob a sua responsabilidade ensinar?

    Deus é amor. Jesus quando esteve na Terra, deixou-nos lindas lições de amor ao próximo, ensinou-nos lições incomparáveis de perdão. Uma das mais lindas lições foi a do perdão à mulher adúltera, quando fez com que todos refletissem sobre seus atos e desistissem de apedrejar àquela mulher!

    Por que à mulher adúltera Jesus perdoaria e às crianças, seres em formação, que não conhecem as consequências de seus erros, Ele mandaria açoitar?

    Chamam-nos a atenção também o seguinte versículo da Bíblia:

    • O que semear a perversidade segará males; e a vara da sua indignação falhará.
    Provérbios 22:8
    E são os males que muitos estão colhendo nos últimos séculos: Os valores perdem-se a cada dia. Muitos filhos não aprenderam a respeitar os seus pais, pois são tratados com falta de respeito, com violência, humilhações, por repressão e medo. Na família, a afetividade está cada vez mais dando lugar à ira, pois ao passo que as crianças são agredidas, têm seu coração preenchido pela raiva, ódio, medo, desamor…

    Está claro aqui que Deus não apoia atos de violência/perversidade. Está claro que a tal vara provoca indignação, raiva e ódio e por isso não foi recomendada por Deus.

    Há alguns versículos ainda, por sinal muito lindos, pouco usados pelos cristãos:

    • Beijai o Filho para que se não irrite, e não pereçais no caminho. Salmos 2:12ª
    • E vós, pais, não provoqueis à ira vossos filhos, mas criai-os na disciplina e admoestação do Senhor.
    Efésios 6:4

    Qual é o sentimento que se desperta no coração de uma criança agredida? Não seria exatamente a ira?

    Por que em vez de continuarmos repetindo atitudes errôneas e afirmando questões e pensamentos infundados, não procuramos refletir sobre as nossas práticas e ver se elas fazem sentido à luz da Palavra de Deus?

  23. Juliana disse:

    Conversas intelectuais são com pessoas intelectualmente formadas então se nós achassemos que a criança já tem o intelecto ( razão, discernimento entre certo e errado) formado poderia até batizada, parece até ridículo quando a criança dosobece vc querer ler o salmo 23, a criança certamente irá dormir.

    1. Saberás, pois, no teu coração que, como um homem corrige a seu filho, assim te corrige o Senhor teu Deus.
    Deuteronômio 8:5
    Como Deus corrigiu o povo de israel? Moisés por exemplo, não pode nem ao menos entrar na terra prometida por conta do seu pecado, perto disso a vara é pequena, Deus foi injusto? Não. Deus foi perverso? Não. Em vez disso ele agiu por amor mas tbm por justiça.nsem contar os casos que Deus dizimava israel por conta de sua despbediecia ( isso pq era o povo escolhido)

    2. Eis que bem-aventurado é o homem a quem Deus corrige; não desprezes, pois, a correção do Todo-Poderoso.
    Jó 5:17
    3. pois o Senhor corrige ao que ama, e açoita a todo o que recebe por filho.
    Hebreus 12:6
    Deus apenas corrigia israel justamento porque era o povo escolhido d’Ele e muitas vezes utilizou formas mais duras do que apenas uma vara.

    4. “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.” – Salmos 23:4
    Nesse caso, a vara é realmente utilizada de uma forma poética fazendo alusão ao pastor com suas ovelhas, mas como vc acha que o pastor usava a vara com suas ovelhas? Certamente ele não conversava com as ovelhas.

    “Primeiro porque nunca vimos Deus açoitar literalmente seus filhos”
    Vemos na bíblia inteira israel sendo açoitada por Deus.

    “Segundo porque a vara falada no livro de Salmos tem o papel de consolar.”
    A correção do Senhor de fato consola, assim como é feita de pai para filho.
    Quando Deus nos corrige nos consola pois ele está fazendo isso por amor, igual de pai para filho.

    Quando Deus nos corrigiu com a vara literalmente?
    Deus nunca usou um pedaço de pau, mas usou meios bem mais severos para fazer isso e a história de israel mostra bem isso.

    Quando o pastor da Igreja, que faz o papel de pai, ensinando, disciplinando, usou da vara literalmente para corrigir a seu rebanho?
    O pastor da igreja lida com pessoas intelectualmente formadas e ele não precisa de vara para fazer isso.

    Onde na Bíblia encontramos Jesus, já que Ele esteve presente de carne e osso na Terra, repreendendo com vara as crianças?
    Jesus de fato não disciplinou criança nenhuma, mas em sua visita a Jerusalém ele literamente chutou os camelôs do templo.

    “Deus é amor”
    Deus NÃO é amor Ele tem amor assim como tem também justiça e ódio do pecado.!!!!

    Por que à mulher adúltera Jesus perdoaria e às crianças, seres em formação, que não conhecem as consequências de seus erros, Ele mandaria açoitar?
    A mulher adúltera sabe oq é um perdão, mas a criança não sabe oq é ser perdoada.
    A criança precisa ser disciplinada para ser que fez algo de errado, um adulto não.
    Oq a criança mais quer é saber se está fazendo a coisa certa e vc só demonstra isso para ela com uma disciplina.

    O que semear a perversidade segará males; e a vara da sua indignação falhará.
    Provérbios 22:8
    De acordo com o texto citado a minha vara só vai falhar se eu plantar pervesidade.
    Por exemplo, se eu disciplinar meu filho com o sentimento de ódio.
    Mas se eu semear coisas boas, a minha vara poderá ser to bem usada.
    Isso de acordo com o texto que vc citou.

    Está claro aqui que Deus não apoia atos de violência/perversidade. Está claro que a tal vara provoca indignação, raiva e ódio e por isso não foi recomendada por Deus.
    A vara não é um ato de violencia e perversidade, vc alega que a vara provoca indignação, raiva e ódio , mas eu fui disciplinada por muitas vezes e não sinto nenhum desses sentimentos e cabe a você me provar o contrário. Obviamente existem casos que a vara mal aplicada provoca essas coisas mas não devemos julgar uma crença pelos seus abusos.

    Qual é o sentimento que se desperta no coração de uma criança agredida? Não seria exatamente a ira?
    Mas a vara não é agressão, não vou disciplinar meu filho com um pedaço de pau.

    • Beijai o Filho para que se não irrite, e não pereçais no caminho. Salmos 2:12ª
    • E vós, pais, não provoqueis à ira vossos filhos, mas criai-os na disciplina e admoestação do Senhor.
    Efésios 6:4
    A vara deve ser aplicada com amor e respeito então o fato da utilização da vara não me impede de executar os versículos citados.

  24. Mery disse:

    O Estado tem que se preocupar é em dar as crianças e aos adolecentes mais educação, pois a educação em nosso país é uma vergonha, a saúde é uma vergonha, tanto particular pois não vejo fiscalização, os foruns estão amarrotados de processos contra planos de saúde, a pública nem se fala, eu sei que bater não é legal, mas é preferivel eu corrigir meus filhos, do que o Estado ter que corrigir la na frente, se ninguem sabe o Estado quendo pegar um agente criminoso ele apanha com força, se não for na hora, será depois, e a Pedofilia que, para o infeliz ser preso tem que haver flagrante, conheço varios casos em que o pedofilo nem se quer é registrado na delegacia, isso é um absurdo. Deixo uma fraze para penssar-mos com carinho:
    Frase do GRANDE ILUSTRE NIEMEYER: Vamos seguir o exemplo do antigo. “Antigamente os cartazes nas ruas, com rostos de criminosos, ofereciam recompensas; hoje em dia, pedem votos”. Não reeleja nenhum político. Não dê tempo deles organizarem quadrilhas que assaltam o erário público e deixam o país sem saúde, educação e segurança

  25. DBragagnolo disse:

    “Dar palmada ou não dar palmada, eis a questão”

    Tenho 25 anos, formado em Comunicação Social e casado à 4 anos. ainda não temos filhos, mas estamos nos programando e se preparando para iniciar a “produção” em outubro de 2012.

    No entanto, EU SOU FILHO, E JÁ FUI CRIANÇA/ADOLECENTE. Ao ler os comentários acima refleti bastante, várias veses mudei de opinião, ora era afavor da lei, ora era contra. Resolvi então fazer uma análise de conciência e relembrar os pontos fortes e importantes que ocorreram em minha infância.

    Não consegui lembrar o que aconteceu exatamente com qual idade, mas lembro de alguns fatos. Quando criança (entre 4 e 5 anos) minha mãe levou-me ao centro da cindade onde moramos para brincar na praça e tomar sorvete, foi um dia bem legal. O problema foi na hora de voltar para casa, de ônibus, EU não queria, me joguei no chão comecei a espernear, chorar, gritar, chutar minha mãe. Ela sem perder a compostura me ergueu do chão, me abraçou e disse pra eu não fazer mais aquilo pq era errado. Adivinha? pareceu mais um incentivo. Continuei a gritar e comecei a dar tapas em minha mãe enquanto me abraçava. Resultado. Juntando toda aquela força que apenas as MÃES conseguem juntar quando precisam defender suas crias, ergueu-me no colo e beliscou toda minha bunda, numa discrição que ninguém à nossa volta viu (até hoje acho ela ninja) e falava no meu ouvido que quanto mais eu gritasse, mais forte e mais vezes ela beliscaria. Santo remédio, acalmei bem ligeirinho. Foi a primeira e única vez que aconteceu, pois nunca mais tive aquela atitude.

    Não direi que foi apenas isto que eu aprontei enquanto criança/adolecente. Não mesmo. Dei muito trabalho aos meus pais e principalmente professores. No meu tempo de ensino fundamental, havia um livro de ocorrências que os alunos carinhosamente chamavam de “O Livrão Preto” onde era registrado os atos mais graves dos alunos, seguido da solicitação da presença dos pais na secretaria da escola. Pois é, EU tinha um desses livros SÓ PRA MIM. Meus pais passavam mais tempo dentro da escola que eu. Levei muita PALMADA na BUNDA. Vejam bem, “PALMADA na BUNDA”. NUNCA levei MURROS dos meus pais, NUNCA apanhei nas “paletas”, NUNCA apanhei na CABEÇA. Apenas no lombo mesmo.

    Meu pai, veio do campo, com educação extremamente obediente, autoritária por parte dos meus avós. Minha mãe, é filha de militar, criada no tempo da ditadura (acho que não preciso comentar como era a criação nesta época). Mas mesmo assim eles sempre tiveram um diálogo aberto comigo (isto continua até hoje). Deste modo, relembrando minha infância, posso dizer que no início eram as palmadas para educar e o diálogo usado como complemento, porém, durante o meu crescimento fui percebendo e aprendendo como a vida realmente funciona (questões éticas, morais e de sociedade), o diálogo passou a ser a forma de educar, e as RARAS palmadas então, como complemento.
    Ainda hoje minha mãe me recebe na casa dela, me da um abraço bem apertado, diz que me ama, e me dá um tapa na bunda como forma de complementar o carinho do abraço.

    Graças a estas palmadas que simbólicamente queriam me alertar e dizer NÃO, eu NÃO fumo, NÃO uso drogas, NÃO roubo, quando bebo (socialmente) eu NÃO dirijo, e NÃO trato as pessoas de forma diferente à como eu gostaria de ser tratado. Provavelmente virá algum engraçadinho agora e dirá “tu não faz isso porque é crente”. Não. Eu não sou crente, sou batizado católico, mas decepcionado com algumas coisas que acontecem dentro das igrejas, mas isto é tema pra outro fórum. Retomando. Apenas me preocupo com minha saúde e os valores de moral e ética que me foram ensinados.

    Concluindo, cheguei a uma opinião. SOU CONTRA ESTA LEI. Levei palmadas quando realmente merercia e nem por isso sai batendo nos outros. Pelo contrário, graças a isso sou a pessoa que sou hoje, empregado à 5 anos na mesma empresa, ensino superior completo, sem NENHUM registro em delegacias, casado à 4 anos e me preparando para ter meus filhos em 2013.

    Abraço à todos e um próspero Ano Novo.

  26. Angela disse:

    Prezada,Juliana
    concordo contigo em tudo realmente se lermos para uma criança o salmo 23 obviamente ela vai durmir…

    Lembro muito bem q apanhei muito qdo criança,e nem por isso sou uma pessoa revoltada,com ódio e ira,e perda foi as palmadas q ñ me acertaram.Ainda afirmo terá leis para os filhos q batem nos pais??Vejo muitas crianças gritando esperneando ,xingando e dando PALMADAS nos pais,porque os pais acham q se por limites as crianças vão achar q ñ as amam,e agora essa Lei absurda,então se der uma PALMADA nos filhos,alguem vai te denunciar e vc irá preso,beleza então ,a gente vai presa e eles vão pra rua pedir esmolas ,durmir embaixo do viaduto…roubar ,PORQUE ESSES PAIS Q DÃO PALMADAS(Ñ É ESPANCAR) SÃO PAIS TRABALHADORES,Q DÃO DURO DANADO PRA POR O Q COMER DENTRO DE CASA ,ROUPA,ALUGUEL(E Ñ É BARATO) PRA Ñ PODEREM SEQUER ENCOSTAR UMA “PALMADA” NO FILHO REBELDE?ESSES MESMO PAIS VÃO PRESOS ,MAS E DAI QUEM VAI CUIDAR DESSES FILHOS,A SOCIEDADE Q MAL OLHA UMA CRIANÇA NA RUA PEDINDO UM PÃO?O CONGRESSO?O GOVERNO OU “VC ” Q TA APOIANDO A LEI.EXISTE UM DITADO Q OUVI MTO DE MEU PAI ,É MELHOR APANHAR EM CASA DO DA POLICIA MAIS TARDE…

  27. Irany Camilo disse:

    Lí a maioria dos comentarios tecidos aqui. o interessante deste debate é isso, conheçer a opinião de cada leitor. minha opinião é a seguinte. sou contra essa lei que só vem mais uma vez derrubar toda noção de educação. Estou falando de palmadas corretivas e não de espancamentos. Violençia não é nem pra filhos e nem pra ninguem.
    Mais palmadas na hora certa meus amigos não fazem nenhum santo, mais concerteza obra milagres.
    Sou mãe com 2 filhos já adultos e prestes a ser vó. Os criei praticamente sozinha , pois fiquei viuva logo cedo, e se não tivesse imposto limites logo de criança quem estaria apanhando hoje deles seria eu.
    Os pais hoje não podem mais nada, pois até uma reclamação eles já gritam logo seus direitos dados por lei.
    Lei essa votados por politicos que se desde pequenos tivessem levados umas boas palmadas dos seus pais hoje não estariam sendo a vergonha da nossa impressa com tantos roubos e falcatruas.A meu ver essas leis só entram em palta como urgençia para mascarar os escandalos que não para de acontecer e que tem vindo a tona com uma velocidade sem precedentes.Acho interessante que a maioria é contra a lei da palmada, mais pergunto a vocês?
    será que vocês entendem quando está em uma fila de banco na espera a mais de 1 hora, cansada devida a espera e uma criança cisca aos gritos porque a sua mãe ou pai não lhe dar o que ele pede naquele istante?
    será que vocês podem nem falar mais não pensam logo, há se fosse meu davalhe umas boas palmada e num instante resolveria a birra.
    Não sou a favor da violençia nem com crianças e nem com ninguem,nem mesmo com um animal. Mais quanto a educação com limites concordo plenamente. E pra concluir , quando uma mãe ou pai exempla um filho pode ter a certeza que as palmadas deles n~ão doem nada em relação a mão de um policial.Nessa hora doi muito mais no pai ou mãe pelo arrependimento de não ter usado da sua palmada na hora certa pra que fosse evitado esse tipo de situação, constrangimento e dor em amBOS. Obrigada pela oportunidade de tecer a minha opinião. FELIZ ANO NOVO A TODOS.

  28. Anna Russo disse:

    Quando um pai ou mãe dá uma palmada no próprio filho/a está emocionalmente alterado. Um indívíduo emocionalmente alterado não está no pleno domínio de suas faculdades. Não estando no pleno domínio de suas faculdades, não estará em condições de avaliar a gravidade do ato do filho e ném a atitude mais adequada a ser tomada. Com base nisso, a proibição por lei de dar palmadas poderá se revelar benéfica para as crianças e também para os pais, na medida em que evitará que façam algo de que poderão se arrepender, quando cairem em si.

  29. Irany Camilo disse:

    Ana ví seu comentario e te digo. Quer saber a resposta?, pergunta a Oscar niemayer arquiteto, Brennand, artista plastico , Arnaldo Jabor um dos melhores jornalistas que temos e olha que são os melhores dos melhores viu?
    pergunta se nunca levaram umas palmadas educativas?
    fora muito de tantos que não foram citados.
    hoje minha amiga esses filhinhos que são criados só na conversinha, até porque pai ou mãe não pode mais nem conversar.
    São aqueles que embriagados atropelam e mata e pai ou mãe só serve pra tirar da cadeia, que chama hoje os mais velhos de coroas chatos e mais enes numeros que nem vale meu tempo digitar.não concordo com essa lei.
    Eles OS POLITICOS antes de votarem deveriam pedir a opinião dos mais interessados OS PAIS.Não acredito nessa lei, Não acreditos nesses politicos .E olha que a politica não me afeta. é só uma questão de opinião.

    obs Quando falo que não me afeta é só politicamente mesmo, até porque meu bolso sofre e como sofre.
    e que o faz sofrer? esses mesmos que fazem essas leis absurdas, mais tudo bem colocarm e pagam eles pra isso……….. pra mostrarem o tamanho da sua incompetencia.

  30. MÁRCIO GOMES disse:

    imagine em um país em que 70 a 80 porcento da população não tiveram uma educação adequada em poderia lhes ensinar como ter diálogos perfeitos para cada situação em que um pai ou mãe se vê na criação de um filho onde no mundo a cada dia se vê o valores morais, éticos e familiares indo pro ralo e apregoado justamente por pessoas
    da maior capacidade de diálogo!!! sou contra as surras e a favor das palmadas educativas e eu fui criado com surras e não me tornei violento, perverso, de má índole e ainda me dizem que eu tenho a paciência de jó, pois o mais importante do que o diálogo e palmadas é o exemplo!!!

  31. HUGO BRIA JUNIOR disse:

    Quando eu era pequeno, era muito travesso e aprontava muito, fui disciplinado por meus pais, inclusive meu pai é militar do exército, quando necessário meus pais conversavam conosco e se caso não resolvesse, eles passavam o chinelo ou o cinto para nos disciplinar e assim mostrar o porque a disciplina e se não fosse isso, se apenas passassem a mão em nossas cabeças, hoje talvez fossemos marginais, criados sem pai e nem mãe. Não me arrependo nem um minuto se os meus pais usaram o cinto ou o chinelo para nos disciplinar, pois agradecemos muito a eles hoje, pois isso não nos atingiu em nada, estamos vivos, temos nossas famílias formadas, netos que eles tanto amam, e sigo a mesma linha de disciplina de meus pais e por darmos atenção, amor e carinho juntamente com a disciplina correta quando se precisa, nossos filhos passam a nos respeitar e a nos amar, sabendo que as ações tem limites e que se assim ensinados estarão melhor preparados para enfrentarem a vida fora do ambiente familiar. As escrituras sagradas já diziam em Provérbios 22:6: Educa o jovem segundo o caminho que é para ele, mesmo quando envelhecer não de desviavá dele e o versículo 15 diz que a tolice está ligada ao coração do rapaz, e a vara da disciplina é a que a removerá para longe dele. Provérbios 23:13 a própria palavra de Deus ainda diz mais, pois ali fala: Não retenhas a disciplina do mero rapaz. Não morrerá se lhe bateres com a vara. Notaram!! Até Deus o Criador nos fala que devemos disciplinar nossos filhos, mas devemos fazer isso com amor e quando for necessário dar umas chineladas, cintadas ou palmadas, os pais devem fazê-lo para que mais tarde não se tornem vagabundos ou marginais que tanto existem hoje, devido aos pais não estarem atentos aos que seus filhos andam fazendo por aí e tampouco passam o mínimo de tempo juntos para saber de suas reais necessidades, pois ficam tão ocupados com outras coisas que não sobra tempo para os filhos. Portanto psicólogos de plantão, revejam seus conceitos ante de falarem asneiras, pois o pai que vê o filho fazer coisas erradas e passa a mão não cabeça, como se nada tivesse acontecendo e até mesmo defendendo ou apoiando o filho do erro que ele cometeu, pode estar formando um marginal ou bandido no futuro. Procurem aplicar o que diz as escrituras na vida familiar que serão bem mais sucedidos no futuro. Pensem seriamente nisto! Abraços a todos!!

  32. Andreia Mascarenhas disse:

    Juliana,

    Vc até tentou responder as minhas perguntas, mas NÃO RESPONDEU, não com base em versículos bíblicos. O único versículo citado por vc e que realmente vi LITERALMENTE o açoite citado por Jesus/Deus foi com relação aos camelôs no templo, mas ESSE FATO NÃO ACONTECEU COM CRIANÇAS! Conforme o que vc citou, pode até ser que adultos deveriam apanhar, já que tem conciência de seus erros, mas a criança NÃO TEM e, por isso mesmo, é que deve ser ENSINADA!

    Que resposta sem sentido essa de que a mulher adúltera sabe o que é o perdão e a criança não, né? Se a criança não sabe o q é ser perdoada, por que saberia o ‘significado/razão’ de ser agredida?

    A criança precisa ser disciplinada porque que fez algo de errado, um adulto não? como assim, Juliana???

    Às vezes o adulto precisa ser disciplinado! E por que não todas as vezes? CORRIGEM seu próprio erro, não? Será que não é por isso que nem sempre são punidos? E qnd o erro prejudica o grupo social do qual faz parte? Dependendo da gravidade do erro ele pode ser preso, pagar multas e outras e outras punições, não???

    Concordo com vc que é preciso mostrar para a criança o que é a coisa certa, mas para isso NÃO PRECISA DE VIOLÊNCIA!

    O que semear a perversidade segará males; e a vara da sua indignação falhará.
    Provérbios 22:8

    A VARA USADA É A PRÓPRIA PERVESIDADE! Vai me dizer que não é violência receber uma varada nas pernas? Então, pergunto-lhe: Por que não aceitamos receber quando erramos tbm? Se vc receber uma varada de alguém na rua o que vc faz? E vc receberia HOJE uma varada como consequência de seu erro?

    Quando um pai bate em um filho é porque JÁ PERDEU o controle. Se eu tenho AUTORIDADE eu NÃO preciso usar vara e nenhum tipo de violência!

  33. Andreia Mascarenhas disse:

    HUGO BRIA JUNIOR,

    Sério? Nunca passou pela sua cabeça que vc pudesse ser MUITO MAIS grato a seus pais se tivessem te ensinado com paciência e SEM uso da força f´ísica? Pois eu TAMBÉM apanhei e não agradeço nem um pouquinho pelas palmadas e varadas! Só lembro com gratidão das vezes em que me corrigiram de verdade, fazendo com que eu CONSERTASSE O MEU PRÓPRIO ERRO!

    É claro que os pais devem disciplinar os seus filhos! Disciplinar é educar: Mostrar o caminho, dizer SIM e NÃO na hora certa! Não precisa usar violência!!!!

  34. Andreia Mascarenhas disse:

    DBragagnolo,

    Sua mãe NÃO PRECISARIA TE BELISCAR para te mostrar que não deveria agir daquela forma. Infelizmente ela não conseguiu fazer diferente. Imagino como deve ter sido difícl para ela os olhares das pessoas em volta, o ônibus aguardando e vc lá esperneando no chão… Ela PERDEU a paciência, com certeza.

    Mas veja: Meu filho quando faz isso resolvo sem problemas. Toda vez, mesmo em casa, qnd tem essas birras (e toda criança tem porq ainda não sabe expressar o q sente com palavras e por não conhecer seus limites ainda) eu só preciso ignorar e distraí-lo com outra coisa. Dependendo da idade APLICO A CONSEQUÊNCIA. Fez isso e não se conteve, perde o próximo passeio, por exemplo, dependendo do caso. IMPOR LIMITES É PRECISO! Bater NÃO é preciso!

  35. Andreia Mascarenhas disse:

    Os pais PODEM E DEVEM dar sim educaçao aos filhos! Os pais só não podem bater em seus filhos! Educar é ensinar, dar limites, dar exemplo!

    Vejam aqui um grande exemplo de disciplinar/educar sem castigos físicos:

    Eu tenho dois filhos. O mais velho de 7 anos, há alguns meses sujou de lama o muro do vizinho pintado recentemente. O dono da casa ficou chateado com ele e eu também, claro! Mas sabe o q fiz?

    Eu reclamei com meu filho, mostrei a minha insatisfação diante de sua atitude e pedi que ficasse sentado pensando uma forma de CORRIGIR SEU ERRO. Ele pensou durante uns 8 minutos depois disse:

    “Minha mãe, eu já sei como corrigir o meu erro! Vou lá pedir desculpa ao dono da casa e perguntar a ele se quer que eu pinte novamente o local sujo”. E assim ele fez. O sr. desculpou-o e disse q não precisava pintar não, que já estava tudo resolvido e ainda o chamou de amiguinho.

    Educar é isso! Corrigir e dar limites é diferente de bater!

  36. HUGO disse:

    Senhora Andrea,
    Creio que a senhora só está aqui para debater ou impor seu ponto de vista, o que as pessoas estão colocando é simplesmente o ponto de vista delas e eu também, convenhamos, pois assim como ficar discutindo religião e futebol não leva a nada, pois se tornal algo fútil, é necessário que as pessoas também respeitem o ponto de vista de cada um, se a senhora tem um ponto de vista diferente sobre o assunto, ele é pessoal e precisamos respeitar, e se os outros tem um ponto de vista diferente, a senhora tem de respeitar, pois cada um precisa respeitar seu próximo como ele pensa e age, pois nínguem é igual a nínguem em ações, atitudes, pensamentos e pontos de vista diferentes. Portanto em vez de ficar criticando e jogando conversa fora, procure antes respeitar todos que postaram seus comentários antes de colocar ou impor seu ponto de vista da forma que a Senhora quer!! Todos temos o direito de opinar sobre o assunto e isso deve ser respeitado, ok??

  37. Andreia Mascarenhas disse:

    Sr. Hugo,

    Até então apenas coloquei meu ponto de vista também. Poderia dizer-me em que faltei com respeito aqui com alguém? Não tenho esse perfil!

  38. Hugo disse:

    Senhora Andrea, sem comentários… e tudo de bom para a Sra., ok??

  39. Andreia Mascarenhas disse:

    Ok, Sr. Hugo! E tudo de bom pra o sr. tbm!

    Um Feliz 2012, cheio de sabedoria, carinho e paciência para lidar com os filhotes, se tiver! :)

  40. Regina Gomes disse:

    Confesso que somente agora vi a reportagem e não li todos os comentários mas, sou totalmente contra a lei…. somos uma familia de 11 irmãos, todos sem excessão levaram palmadas quando criança, uns mais outros menos, e nem por isso tenho irmãos revoltados ou que espanque seus filhos hoje….tenho um filho de 11 anos e foi rara as vezes em que precisei dar-lhe uma palmada, normalmente o verbal ou a retirada de algo que ele goste funciona, mas quando não funciona e é necessário dar uma palmada, esta é dada sim, veja bem estou falando de umas palmada e não de espançar ou maltratar, e tem mais o dia em que o Estado me proibir de corrigir o meu filho, seja la de que forma, nesse dia eu lavo minhas mãos e o entrego para que o Estado o alimente, vista, pague por sua eduacação e saude, de moradia e forme um homem….

  41. Edjane disse:

    Levei palmadas quando criança, nem por isso me revoltei, pelo contrario, sempre respeitei meus pais, e até hoje sou muito apegada a minha família, e até agradeço a meus pais por com palavras e, umas e outras vezes palmadas, sou mãe, e junto com meu esposo passamos para nosso filho os ensinamentos que tivemos. Com tantos problemas de crianças no mundo a justiça vai se ocupar com coisas banais.

  42. Edjane disse:

    Já que o governo se precupa com coisas reles como palmadas em crianças, deveria olhar também as abandonadas, fazer mais pelas desaparecidas, cuidar da segurança do país para que as crinças não sofra abusos fora e dentro de casa. Ora, essa lei, sinceramente, é coisa de quem não se procupa com os verdadeiros problemas do nosso país.

  43. André Oliveira disse:

    DBragagnolo,
    Você, na minha opinião, fechou o assunto. Sou psicólogo e não me envergonho de dizer que tenho sérias dúvidas sobre essa questão. Só sei que sinto um imenso desconforto em ver crianças mal-educadas sendo criadas a base de preceitos pedagógicos totalmente ineficazes e cada vez mais jovens de nosso país caindo na delinquência, fazendo da vida social um inferno. Sei que o problema da delinquência é influenciada por significativas questões sociais, mas dentre eles existe a incapacidade dos pais de impor disciplina, pois só nos tornamos seres humanos quando mitigamos muitos de nossos impulsos e nada melhor do que isso ser feito por quem nos ama.

  44. Arinete marques da silva disse:

    Educação
    Eu recebi umas palmadas dos meus pais quando eu era criança porque eu aprontava muito…agradeço a eles pela educação que tive. Graças a eles hoje sou uma pessoa correta, educada, do bem. Tenho meus filhos e confesso que já dei umas palmadas. Conversar nem sempre adianta, depende do gênio da criança, do momento, da situação, mas temos que tentar. Triste é crescer e levar porrada da policia ou de bandido…Criei meus filhos com muitas dificuldade…São todos formados, bem casados e muito felizes.

  45. Adolfo Scarabichi disse:

    Minha nae me bate de cinto me xinga de fdp de escroto de viado me batia quando eu tinha so 6 anos. Oq uma crianca nessa idade pode fazer para alguem? Me arranha me puxa os cabelos so porque n conaigo estudar e pq ela so sabe agir do eito dela rudo que ela fala tem que aer verdade ela acha que sabe tudo. E eu tenho 14 anos e nem tenho pijama que serve em mim e agente mora no brooklin e quando falo q n tenho apesar de ser verdade ela me xinga de mal agradecido e me bate e nem trmho roupas da minha idade poucas servem em mim e eu n quero roupas de marcas so roupas q sirvam em mim e quando falo pra ela ela me xinga e as vezes me bate. Meu pai e falecido nem sei oq ele viu nela e ele era muitoo gente fina nunca me bateu e sim conversava.

  46. Adolfo Scarabicichi disse:

    Meu verdadeiro nome e gean filho maluf

  47. Adolfo Scarabicichi disse:

    Sera q devo denunciar? E se eu denunciar oq avontece comigo?

  48. Adolfo Scarabicichi disse:

    E isso nunca me educou oq minha ame fez so me enxeu o saco

  49. Adolfo Scarabicichi disse:

    *mae

  50. Adolfo Scarabicichi disse:

    Tenho poucas roupas q eu gosto de usar q saco

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *